APRESENTAÇÃO 

Em 2018, o programa NEOJIBA promoveu a agenda global pela igualdade de gênero entre familiares, meninas e meninos integrantes dos seus 13 núcleos, através do projeto Meninas na Música. A iniciativa contou com o patrocínio do Instituto Avon e realizou ações de formação, vivências e mobilização sobre a atuação da mulher no cenário profissional da música de concerto e sua condição social, da conquista de direitos aos cuidados com o corpo.

Até dezembro de 2018, 16 professoras e musicistas de excelência estiveram em Salvador para compartilhar experiências, realizar masterclasses e ensaios com as principais formações musicais do programa NEOJIBA. O projeto também promoveu a difusão de repertório em homenagem a instrumentistas e compositoras. No campo socioassistencial, foram realizadas 18 oficinas, para um público de 425 adolescentes e jovens sobre os temas: Direitos da Mulher, Empoderamento Feminino, Geração de Renda e Cuidados com o Corpo na Infância. As mães das crianças foram convidadas a participar de oficinas de estímulo à geração de renda. Outra ação inovadora foi a construção de uma campanha de sensibilização sobre a importância da igualdade de gêneros a partir das oficinas de audiovisual, que foram ministradas aos participantes do Programa com o objetivo de promover o protagonismo dos jovens na mobilização em torno da causa.

Musicistas

Pelo menos 418 adolescentes e jovens integrantes do Programa NEOJIBA puderam interagir e desenvolver seus conhecimentos e técnicas com 18 musicistas
e instrumentistas renomadas, durante as 22 academias realizadas em diferentes especialidades, conforme quadro a seguir. 

Compositoras

Com um público estimado em cerca de 355 espectadores, foram realizados concertos em homenagem a mulheres musicistas e compositoras, em 12 Núcleos.
As apresentações contaram com canções criadas e interpretadas por grandes artistas como Chiquinha Gonzaga, Elis Regina, Daniela Mercury, entre outros
grandes nomes da música brasileira e internacional.

Oficinas sobre o feminino

Ao todo 19 oficinas com os temas “Empoderamento feminino”, “Cuidados com o corpo” e “Direitos das mulheres” em sete Núcleos de Prática Musical do programa NEOJIBA:
Liberdade, Federação, Bairro da Paz, CESA (Simões Filho), Pirajá, Nordeste de Amaralina e Cordas Dedilhadas. As oficinas contaram com a presença de 435 crianças e adolescentes
de ambos os sexos, que participaram ativamente das discussões.

Oficinas de audiovisual

Os Núcleos Liberdade, CESA, Nordeste de Amaralina e Cordas Dedilhadas receberam oficinas educativas em audiovisual, que contaram com a participação
de 72 crianças e adolescentes. Com uma carga horária de 3 horas semanais, as oficinas abordaram o contexto feminino na música e contaram com envolvimento,
dedicação e criatividade dos jovens no processo de criação do roteiros e captação de imagens.

Depoimentos

Ariane Reis

“É grandioso ver essa referência porque é uma representatividade que mexe. Você olha e vê que tem uma mulher a frente de algo que é de liderança, onde a gente enxerga que a maioria são homens. Ter uma mulher nesse lugar é muito grandioso pra gente, pra outra mulher que está assistindo, pra quem está sendo capacitado e aprendendo com outra mulher. É muito importante.” 

  • 24 jul, 2018
Camila Celta

"Eu sempre via homens regendo, homens tocando bateria, homens tocando saxofone, hoje em dia mudou. Na minha visão das coisas - e o NEOJIBA está ajudando bastante nisso - você ver que várias meninas têm o potencial, podem, vão e fazem é muito bom. A gente se identifica e quer sempre estar ali fazendo e participando também, mostrando que a gente pode e que a gente tem capacidade.” 

  • 25 set, 2018
Keeyth Vianna

“A reflexão e a discussão sobre empoderamento feminino em todos os ramos é importante. Trazer isso para o contexto musical e educacional é fundamental.” 

  • 16 nov, 2018
Ligia Amadio

"Temos poucas mulheres ainda, mas isso está mudando rapidamente agora. Acho que o impulso que faltava as regentes da minha geração deram. O Primeiro Simpósio de Mulheres Regentes foi muito importante porque se discutiu os aspectos diversos da nossa profissão, os preconceitos que a gente sofre, e isso foi uma chamada de consciência e atenção para todo o meio musical internacional."

  • 20 jun, 2018
Luisa Fernanda Florez

“Estou muito contente por ser convidada para participar do projeto Meninas na Música porque considero uma oportunidade importante de mostrar o que as mulheres, em diferentes partes da América do Sul, estão fazendo no mundo.” 

  • 24 jul, 2018
Nicole Corti 

“Há muitas profissões que foram negócios de homens antes de serem negócios de mulheres e, pouco a pouco, as mulheres entraram nas esferas profissionais de uma forma bastante impressionante por uma década. Na música, as maestrinas são cada vez mais numerosas, especialmente há cerca de quinze anos. Muitas mulheres regem orquestras e são apreciadas pelo seu talento. Hoje a ideia de que as mulheres podem ter absolutamente qualquer profissão evoluiu muito.” 

  • 25 set, 2018