• Inicial
  • Mídia
  • Notícias
  • NEOJIBA comemora primeiro aniversário do Parque do Queimado com música na janela e live

NEOJIBA comemora primeiro aniversário do Parque do Queimado com música na janela e live

  • 10 jul, 2020

No mesmo dia, no mesmo horário, quase dois mil integrantes do NEOJIBA (programa social do Governo da Bahia) em Salvador e no interior do Estado cantaram e tocaram em homenagem ao aniversário de um ano do Parque do Queimado, primeira sede própria do Programa. Das varandas e janelas de suas casas, eles apresentaram, ao meio-dia e meia desta quinta-feira, 9 de julho, a música “Asa Branca”, um clássico da música popular brasileira. 

 


Neste período de pandemia, a música foi um alento para os vizinhos sortudos dos integrantes, que puderam cantar junto, nos versos de  Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira, uma promessa por dias melhores:  “Eu te asseguro, não chore não, viu / Que eu voltarei, viu / Meu coração”. 


A maestrina Lucie Barluet, que coordena o Núcleo de Prática Musical Canto Coral, foi quem teve a ideia do #NEOJIBAnaJanela, a partir de uma iniciativa que aconteceu na Alemanha. Cantores se espalharam por uma cidade do país para cantar uma música que estava tocando na rádio. "Pensei que a gente poderia aproveitar isso, já que temos integrantes espalhados em Salvador e também no interior do Estado. Seria muito legal a gente cantar e tocar no mesmo horário para os nossos vizinhos".  

 


A apresentação foi uma emoção só. Muitos integrantes enfeitaram a casa com bandeirolas e pregaram cartazes coloridos para embelezar o momento. Os vizinhos retribuíram com aplausos e gravações, que farão parte de um vídeo que será disponibilizado em breve nas nossas redes sociais. 


Live


O aniversário do Parque do Queimado também foi comemorado com uma live, transmitida ao vivo, às 18h,  pelo Facebook. O encontro alcançou mais de quatro mil pessoas. O maestro Ricardo Castro, fundador do NEOJIBA, começou a live prometendo que no próximo ano “a festa será dobrada”. As atividades presenciais no Parque foram suspensas desde o dia 17 de março, por causa da pandemia do novo coronavírus. 

 


Durante o encontro, Ricardo fez um passeio pela história do lugar e contou a longa trajetória até que o Parque se tornasse a casa do NEOJIBA. Vídeos lembraram a inauguração do espaço, em 9 de julho de 2018, e as mais de 60 apresentações que aconteceram por lá neste curto período, reunindo um público de quase 8 mil pessoas. 

   

O maestro também apresentou projetos para a segunda fase de requalificação do Parque e defendeu que todos os músicos se engajem na promoção do desenvolvimento social por meio da arte, especialmente nesse momento de pandemia. “Nós precisamos investir na educação, na formação e no acesso à prática artística de todos os nossos cidadãos. Todos nós, artistas, temos que estar envolvidos nisso. Nós estamos festejando um ano do Parque, mas a nossa luta nunca parou. Ela está apenas no início".

 

 

Manoel Sobrinho, presidente do Conselho Administrativo do Instituto de Desenvolvimento Social pela Música (IDSM),responsável pela gestão do NEOJIBA, também participou do encontro e parabenizou a equipe e os integrantes do Programa.  “Certamente uma das maiores descobertas em termos de música da minha vida foi esse contato com o NEOJIBA, porque eu pude ver como a gente pode conseguir jovens que possam ter uma educação musical, que possam compreender a música. Dessa forma, a gente vai conseguir que a Bahia tenha um progresso social real. Parabéns”.  

 


A representante da Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social, Ana Vilas Boas, fez questão de lembrar que o NEOJIBA é mantido com recursos do Fundo de Combate à Pobreza do Governo do Estado. “A gente acredita em reduzir não só a pobreza material, mas também a pobreza espiritual. A música é exatamente essa ponte que tem a expectativa de transformar. Nós temos uma força grande. O governo do Estado vem priorizando o NEOJIBA por entender que o programa garante as condições necessárias para nosso desenvolvimento, para a superação de uma pobreza  material e espiritual. Então parabéns a todos vocês, estamos juntos nessa luta”. 

 


Sobre o Parque do Queimado


O Parque do Queimado abrigou a primeira central de tratamento e distribuição de águas do Brasil. Inaugurado em 1852, a história do lugar é ainda mais antiga. Há mais de quatro séculos, os padres jesuítas descobriram ali uma importante fonte de água que serviu à Soledade e a Lapinha, em Salvador, nos séculos 17 e 18. 

 


O casarão principal foi tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em 1997. Quase duas décadas depois, em 2014, o lugar foi cedido pela Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa) para o Instituto de Desenvolvimento Social pela Música (IDSM), responsável pela gestão do NEOJIBA. Após três anos de obras, o local transformou-se num dos espaços para a prática e o ensino musical mais bem equipados do país.


Sobre o NEOJIBA


Criado em 2007 pelo pianista e maestro baiano Ricardo Castro, o NEOJIBA (Núcleos Estaduais de Orquestras Juvenis e Infantis da Bahia) promove o desenvolvimento e integração social prioritariamente de crianças, adolescentes e jovens em situações de vulnerabilidade, por meio do ensino e da prática musical coletivos. O programa é mantido pelo Governo do Estado da Bahia, vinculado à Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social e gerido pelo Instituto de Desenvolvimento Social Pela Música. Em 12 anos de atuação, o NEOJIBA atendeu, direta e indiretamente, mais de 10 mil crianças e jovens entre 6 e 29 anos. 


Comentários