Projetos itinerantes

NEOJIBA nos Bairros

O projeto desenvolveu, entre 2014 e 2016, ações estruturantes do programa NEOJIBA em regiões com Bases Comunitárias de Segurança em Salvador, Região Metropolitana e outros municípios, como Feira de Santana. O projeto funcionou em parceria com a Secretaria da Educação do Estado da Bahia e com o programa Pacto Pela Vida – iniciativa do Governo do Estado da Bahia para prevenção e combate à violência em áreas de alta vulnerabilidade social. O projeto NEOJIBA nos Bairros propunha atividades em diversos formatos (oficinas, concertos didáticos, cursos), realizadas com a participação da comunidade local. A partir de 2017, as atividades do projeto NEOJIBA nos Bairros foram incorporadas ao Projeto Músicos Multiplicadores.

Capacitação de fanfarras

Foi uma ação que contou com a participação e o aporte de recursos da Secretaria de Educação do Estado da Bahia e se inseriu no âmbito dos programas Educar para Transformar e Pacto pela Vida. Através desta iniciativa, os Núcleos Estaduais de Orquestras Juvenis e Infantis da Bahia realizaram atividades musicais e de capacitação para fanfarras de escolas da rede estadual de ensino em 2015 e 2017. As ações contemplaram o diagnóstico sobre a situação de funcionamento e o estado do material disponível para as bandas escolares, através de visitas técnicas, realização de intercâmbios escolares de bandas, cursos de formação (presencial e a distância) e capacitação para mestres e alunos em prática instrumental, teoria musical e luteria para instrumentos de metal. Além disso, a ação incluiu orientação e apoio para a modernização das fanfarras, através da compra de instrumentos musicais realizada pelo Governo do Estado da Bahia.

Orquestra Plástica

Entre 2014 e 2018, o projeto promoveu o desenvolvimento e a difusão de uma tecnologia social inovadora nos Núcleos Estaduais de Orquestras Juvenis e Infantis da Bahia, com o objetivo de oferecer a mais crianças, adolescentes e jovens acesso a uma formação musical. Durante todo o período de atividades, o projeto contou com o patrocínio da Braskem e do Governo do Estado da Bahia, através do Programa Fazcultura.

A Orquestra Plástica promoveu a construção de instrumentos musicais de plástico com tubos de PVC e capacitou adolescentes e jovens no ofício da luteria, articulando os campos da sustentabilidade e da inclusão socioprodutiva por meio da música. Os instrumentos de plástico foram confeccionados nos Ateliers de Lutheria de Plástico, sediados nos municípios de Simões Filho e Angical – este último no extremo oeste baiano –, e posteriormente distribuídos para projetos musicais parceiros e para os Núcleos de Prática Musical do programa NEOJIBA.

Iniciação Musical em Aratu

Desde 2017, o NEOJIBA realiza atividades de iniciação musical para crianças das comunidades de São Tomé de Paripe e Alto do Tororó, sediadas no Subúrbio Ferroviário de Salvador. O projeto conta com o patrocínio do Ministério da Cultura e da M. Dias Branco, através da Lei Federal de Incentivo à Cultura. A Associação de Moradores de São Tomé de Paripe (AMSTP) e a Associação Comunitária do Alto do Tororó (ACAT) sediam as atividades musicais realizadas, duas vezes por semana, para um público de 07 a 11 anos.

Todas as crianças participantes das oficinas de música recebem atendimento psicossocial, realizado por uma profissional da área de assistência social vinculada ao setor de desenvolvimento social do NEOJIBA. Este trabalho consiste na construção de um diálogo, escuta, interpretação e análise dos aspectos que envolvem a realidade social desse público. As famílias com perfis de vulnerabilidade e/ou risco social são encaminhadas pelo NEOJIBA para atendimento em articulação com o CRAS, CREAS, Conselhos Tutelares e outras instâncias da rede de proteção social. 

Meninas na Música

Em 2018, o programa NEOJIBA promoveu a agenda global pela igualdade de gênero entre familiares, meninas e meninos integrantes dos seus 13 Núcleos, através do projeto Meninas na Música. A iniciativa contou com o patrocínio do Instituto Avon e realizou ações de formação, vivências e mobilização sobre a atuação da mulher no cenário profissional da música de concerto e sua condição social, de garantia de direitos a empoderamento.

Entre os profissionais convidados, 16 professoras e musicistas de excelência estiveram em Salvador para compartilhar experiências, realizar masterclasses e ensaios com as principais formações musicais do programa. Durante o projeto também foi difundido um repertório em homenagem a instrumentistas e compositoras. No campo socioassistencial, o projeto realizou 18 oficinas para um público de 425 adolescentes e jovens sobre os temas: direitos da mulher, empoderamento feminino e cuidados com o corpo na infância. As mães das crianças foram convidadas a participar de oficinas de estímulo à geração de renda. Outra ação inovadora foi a construção de uma campanha de sensibilização sobre a importância da igualdade de gênero, feita a partir das oficinas de audiovisual ministradas aos participantes e que promoveram o protagonismo e a mobilização dos jovens em torno da causa.